Pesquisar este blog

sexta-feira, 22 de maio de 2009

I Corintios 13 1-13

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine.

E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,

não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;

tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta
O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos;

mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado

Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

Padre Fábio de Melo -biografia


Fábio José de Melo Silva, mais conhecido como Padre Fábio de Melo (Formiga, Minas Gerais, 3 de Abril de 1971) é um sacerdote católico, artista, escritor, professor universitário e apresentador brasileiro, pertencente originalmente à Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus. Atua na Diocese de Taubaté no interior do Estado de São Paulo. Como cantor, gravou oito discos pela Paulinas-Comep, um pela gravadora Canção Nova, um projeto independente ("Tom de Minas") e seu primeiro disco por uma gravadora secular, "Vida" (lançado pela LGK Music e pela Som Livre) e e o mais recente trabalho pela gravadora Som Livre "Vida". Ao todo, Fábio de Melo já vendeu mais de 1,2 milhão de cópias de CDs, além de 500 mil livros.

Como professor universitário, lecionou teologia na Faculdade Dehoniana de Taubaté. Também apresenta o programa Direção Espiritual na TV Canção Nova, às quintas-feiras, às 22:30 horas.


Biografia
Padre Fábio José de Melo Silva nasceu na cidade de Formiga (Minas Gerais), no dia 3 de abril de 1971. Tornou-se nacionalmente conhecido por seu trabalho como comunicador: sua obra compõe-se de 6 livros publicados e também de 11 CDs que, juntos, venderam mais de 1,8 milhão de unidades. Mestre em antropologia teológica, foi ordenado em 2001 e atua na diocese de Taubaté, interior de São Paulo. Ele é o caçula dos oito filhos do pedreiro Dorinato Bias Silva e da dona-de-casa Ana Maria de Melo Silva.


O sacerdócio
Após 16 anos de formação e estudos nos seminários dehonianos, no dia 15 de Dezembro de 2001, em sua cidade natal, na Igreja Matriz de São Vicente Ferrér, foi ordenado sacerdote pela imposição das mãos e oração consacratória do Arcebispo Metropolitano de Palmas, Tocantins, Dom Alberto Taveira Corrêa.

O padre Maurício Leão teve grande influência na sua vida seminarista, levando-o para o seminário de Lavras. Em sua vida sacerdotal e espiritual, tem como referência os padres Zezinho, Joãozinho e Léo Tarcísio.

Padre Fábio de Melo fez o primeiro grau na Escola Estadual Abílio Machado, em Formiga (MG), e o segundo grau no colégio Nossa Senhora de Lourdes, em Lavras (MG). Formou-se em teologia na Faculdade Dehoniana de Taubaté, com diploma emitido pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e em filosofia na Fundação Educacional de Brusque, em Santa Catarina.

Fez pós-graduação em educação no Rio de Janeiro e mestrado em Belo Horizonte, junto aos jesuítas, no Instituto Santo Inácio – ISI (FAJE: Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia).

Em seguida, retornou a Taubaté, para lecionar na área de teologia fundamental e sistemática na mesma faculdade em que se havia formado.


A poesia e a música
Pe. Fábio de Melo faz questão de ressaltar que tudo o que escreve e faz é naturalmente evangélico. Suas composições são poesias que trazem a linguagem da sensibilidade, com uma roupagem moderna e com ritmos bem atuais. A mensagem de Jesus Cristo é o viés de suas composições.

Com total apoio da família e tendo como referencial o Padre Zezinho, scj, precursor dos padres cantores desde a década de 60, padre Fábio de Melo lançou seu primeiro CD, em 1997, com o título "De Deus um cantador".

Em seguida "Saudades do Céu", com a participação de diversos artistas católicos, reunindo os cantores de sua congregação, como padre Zezinho e padre Joãozinho, incluídos no CD "Canta coração", um tributo ao Sagrado Coração de Jesus.

Ao receber a ordenação diaconal, compõe "As estações da vida", fazendo uma analogia às estações do ano e o processo de aproximação do ser humano com Deus. Já ordenado padre, em 2003, traz ao mercado o seu mais novo trabalho, "Marcas do eterno". O jovem padre Fábio de Melo concluiu seu mestrado em teologia sistemática e reflete neste cd seus últimos estudos em antropologia teológica sobre "O cotidiano como lugar de revelação". Segundo ele, "viver é deixar e receber marcas, já que todas as experiências da vida, sejam alegres ou tristes, sempre deixam marcas em nós".

A faixa que empresta o nome ao cd "Marcas do eterno", é uma música que fala de maneira muito específica do modo consagrado de viver, que pode ser o de qualquer pessoa que tem uma religião e se relaciona com o transcendente de maneira espiritualista, descobrindo-se como um "Lugar de dignidade" ou "Como um solo sagrado". A música fala claramente de sua vocação

Discografia
1997 - De Deus um cantador (Paulinas-COMEP)
1999 - Saudades do céu (Paulinas-COMEP)
2000 - Canta Coração (Paulinas-COMEP)
2001 - As Estações da Vida (Paulinas-COMEP)
2003 - Marcas do eterno (Paulinas-COMEP)
2004 - Tom de Minas (Independente)
2005 - Humano demais (Paulinas-COMEP)
2006 - Sou um Zé da Silva e outros tantos (Paulinas-COMEP)
2007 - Filho do Céu (Canção Nova)
2007 - Grandes Momentos (Paulinas-COMEP)
2007 - Enredos do meu povo simples (Paulinas-COMEP)
2008 - Vida (LGK music,Som Livre)
2008 - Coletânia Padre Fabio De Melo (LGK music,Som Livre)
2009 - Eu e o Tempo ao vivo(LGK music,Som Livre)

Livros
2009 - Cartas entre amigos - Ediouro - ISBN: 97-885-6030302-1
2009 - Tempo: saudades e esquecimentos - Paulinas - ISBN: 853560989X
2008 - Quando o sofrimento bate a sua porta - Canção Nova - ISBN: 97-885-7677122-7
2008 - Mulheres de aço e de flores - Gente - ISBN: 97-885-7312610-5
2008 - Quem me roubou de mim - Canção Nova - ISBN: 97-885-7677098-5

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A1bio_de_Melo


Tudo é do Pai ( Letra)-Compositor(es): Frederico Cruz

Eu pensei que podia viver, por mim mesmo
Eu pensei que as coisas do mundo
Não iriam me derrubar
O orgulho tomou conta do meu ser
E o pecado devastou o meu viver

Fui embora, disse: ó pai, da-me o que é meu!
Da-me a parte que me cabe da herança
Fui pro mundo
Gastei tudo
Me restou só o pecado
Hoje sei que nada é meu
Tudo é do pai

(refrão)
Tudo é do pai
Toda honra e toda glória
É dele a vitória
Alcançada em minha vida
Tudo é do pai
Se sou fraco e pecador
Bem mais forte é o meu senhor
Que me cura por amor(bis)

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Como me tornei evangélico.

Primeiramente tenho que pedi desculpas por copiar uma idéia que achei interessante de um outro blog, que é essa explicar como me tornei evangélico.
Antes de ser evangélico, já fui católico, espirita e frequentador da Igreja Messiânica do Brasil. Não gosto de criticar as outras religiões, acho errado o que alguns evangélicos fazem, creio que todas as religiões tem erros e acertos. Na verdade para mim a verdadeira religião é o amor universal pela vida, pelo outro, pois se amamos a vida e o outro amamos a Deus, pois a vida foi obra Dele.
Mas o objetivo da postagem não é essa, enfim. As religiões que fui adepto antes, aprendi muito com elas e duvidei de alguns preceitos que me fizeram ser da Igreja Batista.
Antes várias vezes fui convidado, mas sempre iventava uma desculpa para não ir. Até que um dia fui. E vou falar por que gostei da Batista, o que me chamou mais a atenção na minha Igreja é que as pessoas não economizam afeto, coisa que está se tornando rara nos dias de hoje. Outra coisa que me chamou atenção, é que as pessoas cantam, são felizes e me fizeram descrer que religião combina com coisas estáticas, paradas, monotonas.
Sim, vou aproveitar e também dizer porque demorei tanto em tornar evangélico, não gostava como os evangélicos abordavam ( Você aceita Jesus?) , parecendo que quem não é evangélico, não crer em Jesus, segundo , achava que me tornando evangélico iria ficar abititolado, cego, e não gostava de algumas maneiras de se propagar a religião, através de gritos, ou que você vai ter mais dinheiro, o carro do ano etc, e também por causa do dízimo.
Acho que quer buscar a Cristo, deve buscá-lo para conhecer mais a Ele e a sua palavra, não por bens materias, que nada servirão para o Mundo espiritual.
Outra coisa, talvez esteja errado, mas não basta ao homem me julgar que também será julgado e sim Deus, que é maior que tudo.Escuto ainda MPB, rock, música sertaneja e as músicas gospel, apoio algumas coisas que as religiões condenam e tenho amigos adeptos de religiões diferentes da minha, e nem por isso digo que eles estão errados ou que eles tem que ir para a minha igreja para se salvarem. A única coisa que recomendo é ler a Bíblia e que creia em Deus, para aqueles que dizem que não creem, pois isso tudo que está ao nosso redor concerteza foi feito por algo muito maior.